MARIDO DE SANGUE.html

MARIDO DE SANGUE

Willibaldo Ruppenthal Neto

Mestrando em História (UFPR)

Bolsista CNPq

E-mail: willibaldoneto@hotmail.com

RESUMO

Apesar de muitos textos bíblicos serem considerados crux interpretum, ou seja, “cruz dos intérpretes” pela sua complexidade filológica ou teológica, Êxodo 4.24-26 é um problema para os estudiosos por ser pura e simplesmente estranho. Neste texto, no qual aparentemente Deus tenta matar Moisés (ou seu filho), o hebraico é bastante simples, e a teologia da punição do pecado evidente. Mesmo assim, porém, o problema permanece. A explicação do texto é possível, porém, quando se atenta para a tradição judaica posterior, que apresenta não somente o valor do sangue da circuncisão, relacionado à Páscoa, como insere elementos ausentes no texto, completando-o. Deste modo, se percebe que não é o próprio Deus que tenta contra a vida do filho de Moisés, mas o “anjo da morte”, personagem importante no relato de Êxodo, que é aplacado com o sangue da circuncisão, como também o será pelo sangue pascoal. Mesmo a razão para todo o evento é fornecida: Moisés teria prometido a seu sogro, Jetro, que não iria circuncidar seu filho, a fim de que continuasse a religião do avô. Zípora, no entanto, sendo obrigada pelas circunstâncias a circuncidar seu filho, culpa Moisés, tomado não somente como “marido de sangue”, mas ainda mais como “genro culpado”, pelo descumprimento no acordo com seu sogro.

Palavras-chave: Moisés; Antigo Testamento; Êxodo.

ABSTRACT

Although many biblical texts are considered a crux interpretum, i.e. “cross of the interpreters”, for their philological or theological complexity, Exodus 4:24-26 is a problem for scholars because it is purely and simply strange. In this text, in which God apparently tries to kill Moses (or his son), the Hebrew text is rather simple and the theology of the punishment of sin is also evident. Even so, however, the problem remains. The explanation of the text is possible, however, when any one looks at the later Jewish tradition, which presents not only the value of the blood of circumcision, related to Easter, but inserts missing elements into the text, completing it. In this way, one realizes that it is not God himself who tries against the life of the son of Moses, but the “angel of death”, an important character in the account of Exodus, who is appeased with the blood of the circumcision, just like the Pascoal blood later. Even the reason for the whole event is provided: Moses would have promised his father-in-law, Jethro, that he would not circumcise his son, so that he (the son) would continue his grandfather’s religion. Zipporah, however, being forced by circumstances to circumcise her son, blames Moses, taken not only as “husband of blood,” but even more so as a “guilty son-in-law”, because Moses was breaking the agreement with his father-in-law.

Keywords: Moses; Old Testament; Exodus.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.