A vida cristã segundo a confissão de Augsburgo como receptividade caminhante

Cesar Motta Rios

Resumo


A doutrina luterana da justificação por graça mediante a fé, se bem entendida, não implica passividade absoluta do ser humano por toda sua vida. Não obstante, a afirmação categórica de que basta a fé em Cristo para que haja salvação produz desentendimentos a esse respeito, tanto entre pessoas de outras tradições cristãs quanto entre luteranos, inclusive teólogos. Procuro demonstrar que a Confissão de Augsburgo, texto fundamental do luteranismo em todo o mundo, estabelece claramente que há lugar vital para as boas obras na teologia proposta. Os confessores luteranos do século XVI propuseram que a vida cristã é possível por causa da ação de Deus, sendo, portanto, marcadamente receptiva. Mas não se espera inércia por parte da pessoa que recebe de Deus a ação salvadora.

Palavras-chaves: Boas obras. Justificação. Fé. Graça. Luteranismo.

AbstractThe Lutheran doctrine of justification by grace through faith, if properly understood, does not imply an absolute passivity of the human being throughout his life. Nevertheless, the categorical assertion that faith in Christ is enough for salvation produces misunderstandings in this regard, both among people of other Christian traditions and among Lutherans, including theologians. I try to demonstrate that the Augsburg Confession, the fundamental text of Lutheranism throughout the world, clearly establishes that there is a vital place for good works in the proposed theology. The Lutheran confessors of sixteenth century proposed that the Christian life is possible because of God's action and is therefore impressively receptive. But one does not expect inertia on the part of the person who receives from God the saving action.

Keywords: Good Works. Justification. Faith. Grace. Lutheranism.


Texto completo:

EPUB PDF HTML

Referências


BAYER, Oswald. The Renewal of the Minds: Foundations for Christian Ethics in Paul. In: ________. Freedom in Response - Lutheran Ethics: Sources and Controversies. Oxford: Oxford University Press, 2007. p. 37-43.

BIERMANN, Joel D. A Case for Character: Towards a Lutheran Virtue Ethics. Minneapolis: Fortress Press, 2014.

CULTO LUTERANO: Liturgias e Orações. Porto Alegre: Concórdia, 2015.

GASSMANN, Günther. As confissões luteranas – Os textos. In: HENDRIX, Scott; GASSMANN, Günther. As Confissões Luteranas: Introdução. São Leopoldo: EST / Sinodal, 2002. p. 38-50.

HENDRIX, Scott. As confissões luteranas – A vida cristã. In: HENDRIX, Scott e

GASSMANN, Günther. As Confissões Luteranas: Introdução. São Leopoldo: EST / Sinodal, 2002. p. 136-171.

KLÄN, Werner. The “Third Sacrament”: Confession and Repentance in the Confessions of the Lutheran Church. Logia, v. XX, p. 5-12, jul. 2011.

KOLB, Robert. Preaching the Christian Life: Ethical Instruction in the Postils of Martin Chemnitz. Lutheran Quarterly, v. 16, p. 275-301, 2002.

LIVRO DE CONCÓRDIA. Tradução de Arnaldo Schuler, 5ª edição. São Leopoldo: Sinodal; Canoas: Ulbra; Porto Alegre: Concórdia, 2006.

MANUAL DE OFÍCIOS da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil. São Leopoldo: Sinodal, 1990.

MIDDENDORF, Michael P. The New Obedience: An Exegetical Glance at Article VI of the Augsburg Confession. Concordia Journal, v. 41, n. 3, p. 201-219, Summer 2015.

MURRAY, Scott. Law and Gospel: The Lutheran Ethic. Logia, v. IV, p. 15-24, July 1995.

PELIKAN, Jaroslav. The Christian Tradition: A History of the Development of Doctrine. Volume 4 – Reformation of Church and Dogma (1300-1700). Chicago and London: The University of Chicago Press, 1985.

RIETH, Ricardo Willy. O pensamento teológico de Filipe Melanchthon (1497-1560). Estudos Teológicos, v. 37, n. 3, p. 223-235, 1997.

SCAER, D. Sanctification in the Lutheran Confessions. Concordia Theological Quarterly, v. 53, n. 3, p. 165-181, 1989.

SINNER, Rudolf von. Tradição apostólica: uma perspectiva evangélico-luterana. Reflexão, Campinas, v. 41, n. 2, p. 139-153, jul./dez., 2016. Disponível em https://seer.sis.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/reflexao/article/view/3757. Acesso em 19 abr. 2018.

THE BOOK OF CONCORD. Edited by Robert KOLB and Timothy J.

WENGERT; translated by Charles Arand et al. Minneapolis: Augsburg Fortress, 2000.

WACHHOLZ, Wilhelm. O ser humano cooperador com Deus: Ética cristã a partir dos dois regimentos e três estamentos na teologia de Martim Lutero. Estudos Teológicos, São Leopoldo, v. 57, n. 1, p. 14-29, 2017. Disponível em . Acesso em: 20 set. 2018.

WOODFORD, Lucas. More Light, Less Heat on Sanctification and the Third Use: A Baptismal Virtue Ethics Proposal. Logia, v. 27, n. 2, p. 27-42.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Indexadores: